5.2.10

"O nosso movimento de aproximação com o grupo quilombola foi pensado como vivência e então pudemos a cada viagem e permanência em Pedro Cubas alcançar novos graus de profundidade relacional, estabelecer vínculos estreitos e assim operar com as densidades dos discursos e das ações registradas".
José Vitor Marchi in "Documentário: a construção de um ícone com os Quilombolas de Pedro Cubas. Vale do Ribeira - SP". Tese de mestrado. pág 17. 2010. ECA-USP. São Paulo

1 Comentários:

Blogger Zé Vitor Marchi disse...

Pai e grande amigo,
Muito obrigado por todos ensinamentos e sabedoria.
Simplesmente segui a genética, olhar e traço da família. De imagem e de poesia quem manja é você doutor! ahahah
Muito obrigado por tudo sempre, e estou muito feliz por orgulhar meus pais! =)

9/2/10  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial